Um olhar sobre a evolução e o futuro da parede de concreto no Brasil

Tendências para 2015

Eng. Ary Fonseca Jr.

 

O sistema construtivo parede de concreto entrou na pauta de debates da construção civil brasileira em 2005 e hoje, dez anos depois, está presente em milhares de unidades habitacionais Brasil afora. Mesmo assim, ainda costumamos ouvir o seguinte questionamento: Afinal, parede de concreto é uma boa opção construtiva? A pergunta exige uma resposta adequada e, espero, definitiva. Para respondê-la, precisamos resgatar um pouco da história desse sistema.

 

Anos de 2005/2008 – Ciclo do conhecimento e da curiosidade

 

Ainda na ABCP (Associação Brasileira de Cimento Portland), realizamos algumas missões técnicas para melhor entender este sistema. México, Chile e Colômbia foram os países escolhidos para iniciarmos a pesquisa, estimulada por nossa curiosidade sobre a construção de unidades habitacionais com a opção construtiva paredes de concreto moldadas no local.

 

Anos de 2009/2011 – Ciclo da implantação

 

O programa Minha Casa Minha Vida e a explosão do mercado imobiliário levaram algumas construtoras a adotarem esta opção tecnológica. As informações foram sendo geradas e o conhecimento, aprimorado, mesmo que de forma um pouco acanhada.

 

Anos de 2012/2014 – Ciclo do aprendizado pela operação

 

A publicação da NBR 16.055/2012, norma de execução e projetos para parede de concreto, possibilitou o crescimento exponencial do sistema. As construtoras ganharam confiança para executar suas obras neste sistema, a cadeia de fornecedores de materiais e serviços se aprimoraram nas soluções e os resultados apareceram, tanto em quantidade como em qualidade.

 

Hoje o sistema é utilizado em todas as regiões do Brasil!

 

Segundo dados dos principais agentes financeiros que repassam recursos para empreendimentos contratados do programa MCMV, mais de 50% das unidades foram e estão sendo construídas no sistema parede de concreto. E eles sinalizam que este percentual tende a aumentar.

 

Ano 2015 – O que vem pela frente?

 

As perspectivas são as melhores possíveis. No nosso entendimento, é o inicio do ciclo de consolidação do sistema construtivo parede de concreto. É importante avaliar algumas ações já em desenvolvimento e alguns pontos a serem observados, para que possamos, nos próximos anos, de forma consistente, obter o domínio absoluto desta opção construtiva de extrema competitividade, já comprovada:

  • Normas – Já estão em estudo as propostas de revisão e complementação da norma vigente – NBR 16.055/2012 – desenvolvidas pelo Grupo Parede de Concreto, sob a liderança da ABCP, Abesc e IBTS. Também em desenvolvimento por este grupo está a avaliação da Norma de Desempenho NBR 15575 face à própria NBR 16.055 e vice-versa.

 

  • Arquitetos – A prática na integração dos diversos sistemas (elétrico, hidrossanitário, ar condicionado, esgoto etc.) e a modularidade já fazem parte dos momentos de compatibilização e adequação dos projetos executivos.

 

  • Projetistas de estrutura – Os conhecimentos adquiridos por meio da execução em grande escala possibilitam adequações mais competitivas nos índices de aço, espessura das paredes e especificações do concreto.

 

  • Tecnologia do concreto – Concreteiras e tecnologistas de concreto aprimoram cada vez mais os traços do concreto a ser utilizado. O concreto auto-adensável, produto de altíssima tecnologia, integra o dia a dia das melhores opções na decisão a ser adotada pelas construtoras.

 

  • Formas de alumínio – Hoje, uma dezena de empresas disputa este mercado. Algumas delas ainda oferecem produtos vindos de seus países de origem, mas com garantia da marca de maiores produtores do mundo. Alguns serviços já começam a ser incorporados no fornecimento da forma de alumínio: para algumas tipologias, já são ofertados os projetos executivos e as formas de alumínio no regime de locação. Outras empresas pensam em desenvolver pequenas construtoras e ofertar a estrutura já executada, também com a forma de alumínio em regime de locação (painéis padrão).

 

  • Demais fornecedores – Já existe uma enorme variedade de materiais específicos para parede de concreto disponíveis no mercado: espaçadores plásticos para várias tipologias, caixas de elétrica de passagem, chicotes de fiação pré-montados, tubulações de água na tecnologia pex, materiais e serviços de aplicação mecanizada para revestimentos internos e externos (bases acrílica e cimentícia), disponibilidade do uso do contrapiso autonivelante, enfim uma gama enorme de opções voltadas ao sistema.

 

  • Mercado – Observa-se a migração do sistema parede de concreto para empreendimentos verticais, acima de 5 pavimentos, fora do programa MCMV, possibilitando também ganhos expressivos de redução de prazo e mão de obra com garantia de qualidade. Obras de 16 a 23 pavimentos despontam como cases de sucesso.

 

  • Gestão do processo – Eis uma etapa que ainda necessita de maiores cuidados e atenção por parte das construtoras. O sistema potencializa ganhos de competitividade à medida que a empresa executora se aprimora nos pilares da boa engenharia e na boa gestão do processo: projetos integrados, fornecedores adequados, um bom projeto de logística de produção, de planejamento e controle e profissionais capacitados para orquestrar todas estas variáveis.

 

Temos convicção que iremos acelerar a etapa de consolidação do sistema parede de concreto nos próximos três anos, nas diversas tipologias e número de andares. Podemos afirmar que este sistema veio para ficar, despontando de maneira diferenciada como uma ótima opção para quem quiser ganhos de prazo, custos e otimização da mão de obra.

 

Que venha 2015…

 

O engenheiro Ary Fonseca Jr., sócio da Signo Engenharia, é gestor do Núcleo de Referência Parede de Concreto

Eng. Ary Fonseca Jr.